Polícia Civil prende pai suspeito de estuprar filha adolescente em Juiz de Fora

Polícia Civil prende pai suspeito de estuprar filha adolescente em Juiz de Fora

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher apresentou nesta segunda-feira (14) um homem de 40 anos suspeito de estuprar a filha, de 14, em Juiz de Fora. Ele foi preso na sexta-feira (11) em um bairro da região Nordeste da cidade e encaminhado ao Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp).


O homem responde pelo crime de estupro de vulnerável com continuidade delituosa, com previsão de pena entre 8 e 15 anos, que pode aumentar pelo fato de ele ser o pai da vítima. De acordo com a delegada responsável pelo caso, Ione Barbosa, a denúncia chegou à Polícia Civil pelo Conselho Tutelar, que acompanha a família desde 2008 por estarem em situação de vulnerabilidade. "Estamos investigando desde o fim do ano passado, após a mãe e a conselheira nos procurarem e denunciarem o abuso. A mãe chegou a sair de casa após ser agredida. Os abusos começaram porque a adolescente, que tinha 13 anos na época, permaneceu com os quatro irmãos mais novos, duas meninas, de oito e 13 anos e dois meninos, de sete e 10 anos", explicou a delegada.


Barbosa informou que a adolescente saiu de casa e foi morar em uma cidade vizinha com uma tia. No entanto, a mãe, de 37 anos, reatou com o marido e eles foram buscar a menina. "A garota confirmou à tia e em depoimento na delegacia que sofria os abusos. Diante disso, o Conselho Tutelar nos informou e nós solicitamos a prisão preventiva do pai dela.


O Ministério Público deu parecer favorável, diante dos fatos já apurados e a Justiça concedeu a prisão preventiva", contou. A delegada disse ainda que o homem já foi indiciado por estupro de vulnerável. Ela deve encerrar este inquérito, acrescentando que ele foi preso. No entanto, outro processo está aberto. "Estamos apurando ainda as agressões dele contra a companheira. E vamos pedir novos exames de corpo de delito de toda a família, para apurar se há outras vítimas de abuso sexual ou de agressão.


Outro ponto a ser apurado é se a mãe pode responder por omissão, já que reatou com o companheiro mesmo sabendo que ele abusava da filha", comentou. Por fim, Barbosa disse que também serão requeridas medidas protetivas para a esposa e a filha mais velha e que toda a família é acompanhada pelo Conselho Tutelar.