ALMG: Governo de Minas enfrenta oposição crescente na disputa pela presidência da Casa

ALMG: Governo de Minas enfrenta oposição crescente na disputa pela presidência da Casa

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) está em meio a uma das disputas mais acirradas pela presidência nos últimos anos. O Governo de Minas defende a candidatura de Roberto Andrade (Patriota), mas vem perdendo maioria para construir um consenso, já que a bancada do Partido Liberal (PL) "virou a folha" e decidiu apoiar Tadeu Martins Leite (MDB), somando-se a PT, PCdoB, PSOL e outros partidos de esquerda. 


Nas rede sociais o eleitor conservador mineiro do PL e de Bolsonaro vem questionando esta união, já que isto era impensável há alguns meses atrás, e vai contra todos os discursos e postagens feitas pelos deputados da bancada dita conservadora até então.


Nos bastidores, a expectativa do governo é construir uma nova candidatura de peso, depois que o nome de Andrade perdeu apoio ao longo da semana. Roberto Andrade já decidiu inclusive abrir mão da disputa em prol de uma candidatura de consenso pró-Zema.


A denúncia feita pelo deputado eleito Caporezzo (PL), de uma suposta tentativa de chantagem do secretário de Governo, Igor Eto, também causou revolta entre os deputados e aumentou a rejeição ao nome apoiado pelo governo.


Candidatura do PSD


Neste domingo (22) o PSD se reuniu e discutiu a possibilidade de lançar o deputado Duarte Bechir como candidato. O anuncio do resultado desta reunião deve ser divulgado hoje, segunda-feira (23).


Nos bastidores entretanto o governo não tende a ver com bons olhos o lançamento de um nome do PSD.


A avaliação que fazem é de que essa candidatura serviria ao propósito de dividir ainda mais a base do governo e, caso ganhe força, seria ainda mais  preocupante para o governador Zema. 


Isto porque o PSD mineiro é ligado fisiologicamente ao PT, ao presidente Lula e ao Ministro das Minas e Energia Alexandre Silveira, o que significaria que o comando da Assembleia ficaria nas mãos de adversários declarados do governador, com potencial para fazer um estrago ainda maior no já combalido relacionamento do governo de Minas com a Casa.


A eleição para a Mesa Diretora da ALMG ocorre no próximo 1º de fevereiro.