PF revela vídeo de reunião de Bolsonaro e ministros discutindo 'Dinâmica Golpista'

PF revela vídeo de reunião de Bolsonaro e ministros discutindo 'Dinâmica Golpista'

A Polícia Federal (PF) divulgou hoje a existência de um vídeo de uma reunião do ex-presidente Jair Bolsonaro com ministros, realizado em 5 de julho de 2022, onde discutem uma "dinâmica golpista". A gravação foi encontrada em um computador apreendido na residência do tenente-coronel Mauro Cid, ex-chefe de ordem de Bolsonaro, durante uma operação anterior da PF.


A transcrição do vídeo foi incluída na decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que embasa a atual operação da PF, investigando uma suposta tentativa de golpe de Estado. Moraes afirma que a reunião "revela o arranjo de dinâmica golpista no âmbito da alta cúpula do governo, manifestando-se todos os investigados que dela tomaram parte".


No vídeo, Bolsonaro discute alegadas irregularidades nas eleições, questiona acordos com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e menciona o uso do exército. Além disso, destaca a disseminação de informações falsas durante o período eleitoral sobre o então candidato Lula (PT), o TSE e os ministros do STF.


Dentre os trechos destacados na transcrição, Bolsonaro menciona: "Nós não podemos esperar chegar 23, olhar para trás e falar: o que que nós não fizemos para o Brasil chegar à situação de hoje em dia? Nós temos que nos expor. Cada um de nós. Não podemos esperar que outros façam por nós. Não podemos nos omitir. Nos calar. Nos esconder. Nos acomodar."


O ministro da Defesa à época, Paulo Sérgio Nogueira, menciona "o Diretor Geral da Polícia Federal montou um grupo de policiais federais. E agora uma equipe completa. Não só com peritos. Mas com delegados, com peritos, com agentes pra poder acompanhar, realmente, o passo a passo das eleições."


O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, afirma: "Se tiver que dar soco na mesa é antes das eleições. Se tiver que virar a mesa é antes das eleições. E vai chegar a um ponto que nós não vamos poder mais falar. Nós vamos ter que agir. Agir contra determinadas instituições e contra determinadas pessoas. Isso pra mim é muito claro."


A revelação do vídeo intensifica a tensão política no país, gerando debates sobre o estado democrático de direito e a conduta do ex-presidente e seus colaboradores. O caso está sendo acompanhado de perto pela sociedade e por autoridades, levantando preocupações sobre a estabilidade institucional.

Plano 5G por R$ 57,99/mês Ver Plano