PF indicia Carla Zambelli e hacker Walter Delgatti por invasão do site do CNJ

PF indicia Carla Zambelli e hacker Walter Delgatti por invasão do site do CNJ

A Polícia Federal concluiu o inquérito sobre a invasão do sistema do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e indiciou o hacker Walter Delgatti Neto e a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP). Ambos são suspeitos de cometerem crimes de invasão de dispositivo informático e falsidade ideológica. 


Durante o hackeamento do CNJ, documentos falsos foram inseridos no sistema, incluindo uma falsa ordem de prisão contra o ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF), imitando sua assinatura. 


A PF, ao analisar o relatório, destaca que embora não tenham sido encontradas trocas de mensagens entre Zambelli e Delgatti, documentos falsos foram descobertos nos dispositivos pessoais da deputada. Esses documentos incluem uma ordem de quebra do sigilo bancário de Moraes, recibo de bloqueio de bens e uma minuta de mandado de prisão. 


A polícia aponta que Zambelli instigou o hacker a realizar a invasão do CNJ, divulgando posteriormente o documento a jornalistas, com o objetivo de difundir suspeitas sobre a credibilidade do Judiciário. 


O relatório será analisado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que decidirá sobre a possível denúncia de Zambelli ao STF. Este é o primeiro inquérito concluído pela PF envolvendo aliados próximos do ex-presidente Jair Bolsonaro em contextos de ataque à democracia.

Siga o Instagram do Portal Minas Seguir