Bailarina de Ipatinga brilha no Festival de Dança de Joinville

Bailarina de Ipatinga brilha no Festival de Dança de Joinville

Maria Luisa Hott, uma talentosa bailarina de apenas 13 anos, está ganhando destaque no cenário da dança no Brasil. Aluna do projeto Centro de Referência em Dança do Vale do Aço, ela está participando da 40ª edição do Festival de Dança de Joinville com duas emocionantes coreografias. O evento, que começou em 17 de julho e vai até o próximo dia 29, é reconhecido como um dos mais importantes festivais de dança do mundo, atraindo anualmente profissionais e entusiastas da dança de diferentes partes do país.


Sob a orientação da diretora artística e professora de balé do projeto, Salette Olguin, Maria Luisa se apresenta no Festival de Dança de Joinville em duas performances notáveis: a variação do Balé Clássico de Repertório “La Esmeralda”, coreografada originalmente por Marius Petipa, e o Balé Neoclássico “O Florescer da Camélia”, uma criação de Salette Olguin.


O projeto Centro de Referência em Dança do Vale do Aço, que está em sua 15ª edição, tem como objetivo oferecer aulas gratuitas de balé clássico para crianças e adolescentes da rede pública de ensino, com idades entre 6 e 16 anos. Viabilizado pelo patrocínio da Usiminas e com o apoio do Instituto Usiminas, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, o projeto tem sido fundamental para a formação de jovens talentos como Maria Luisa.


Salette Olguin descreve o incrível progresso da jovem durante a pandemia, ao participar das aulas online do projeto. Com qualidades físicas notáveis, flexibilidade impressionante e uma dedicação exemplar, Maria Luisa despertou para a carreira profissional, o que enche de orgulho todos os envolvidos no projeto.


A bailarina relata que, quando ingressou no Centro de Referência em Dança, ainda não tinha o sonho de ser bailarina. No entanto, o projeto despertou uma paixão inesperada em seu coração, e as professoras Salette e Larissa se tornaram suas inspirações, mulheres fortes e guerreiras que lutam diariamente pelo crescimento e evolução de todas as alunas. Participar do Festival de Dança de Joinville é a realização de um sonho para Maria Luisa, que se sente gratificada por ver que todo o esforço valeu a pena.


Salette Olguin, desde o ano passado, vem preparando cuidadosamente Maria Luisa para participar do prestigiado festival, e sua dedicação e talento foram notáveis na montagem de espetáculos como “Brincando de Gente Grande” e no corpo de baile do clássico de repertório Dom Quixote. Além dos ensaios semanais com Salette Olguin, a jovem contou com a colaboração especial do bailarino profissional Guilherme Júnio, recém-chegado da Rússia, onde atuou por cinco anos na Ópera Primmariinsky.


O sucesso de Maria Luisa Hott é um exemplo do impacto positivo que projetos culturais têm na vida de jovens talentos, proporcionando oportunidades únicas e contribuindo para o florescimento de sonhos e carreiras promissoras na dança. O Festival de Dança de Joinville continua a ser uma vitrine importante para o mundo da dança e uma celebração da dedicação e do talento dos bailarinos brasileiros.

Siga o Instagram do Portal Minas Seguir