Homem é preso após ser flagrado pela esposa acariciando a própria filha de 9 anos em Itabira, MG

Homem é preso após ser flagrado pela esposa acariciando a própria filha de 9 anos em Itabira, MG

Imagem ilustrativa


Um homem de 28 anos foi preso nesse domingo, 11 de fevereiro, em Itabira, acusado de estuprar a própria filha, de 9 anos. A ocorrência foi registrada no bairro Ribeira de Cima. De acordo com a Polícia Militar, a ação foi flagrada pela mãe da menina, que viu quando o marido acariciava as partes íntimas da garota.


O caso teria ocorrido na noite de sábado, 10 de fevereiro. A mulher contou que estava na sala, cochilando no sofá. Ao acordar, viu que somente a luz do quarto da filha estava acesa. Ela foi até o cômodo e flagrou a cena. A mulher ameaçou ligar para a PM, mas o marido a impediu. O homem tomou o celular da esposa e disse estar arrependido.


No dia seguinte, porém, a mulher aproveitou a ausência do esposo e ligou para a polícia. A menina confirmou o ocorrido e ainda afirmou que o fato ocorreu outras vezes. Ela também disse que o pai ameaçava lhe bater se contasse para a mãe o que ocorria.


Segundo a Polícia Militar, o homem confessou os fatos e confirmou que já havia cometido o mesmo ato outras vezes. Ele afirmou não saber os motivos que o levam a querer acariciar a filha.


O homem foi levado para a Delegacia de Polícia Civil. A esposa também seguiu para a sede da PC para prestar esclarecimentos ao delegado de plantão.


Estupro de vulnerável


Delito previsto no artigo 217-A do Código Penal, o estupro de vulnerável engloba os objetivos de ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos, alguém enfermo ou portador de deficiência mental. Ou seja todo e qualquer ato contra uma pessoa incapaz de consentir validamente o ato sexual.


Não mais é necessária a consumação propriamente dita do ato sexual para se configurar a ação de estupro. A pena pode variar de 8 a 30 anos de prisão, dependendo da gravidade das consequências do ato.


* Com informações do site DeFato Online


Curta a página do Portal Minas no Facebook