Zaga titular do Atlético-MG, em boa fase, fará seu 1º clássico


Zaga titular do Atlético-MG, em boa fase, fará seu 1º clássico

O Atlético-MG tem escalação confirmada para o clássico de hoje, às 20h, contra o Cruzeiro, no Mineirão. Pela primeira vez na temporada, o Galo terá seus dois zagueiros titulares em campo em um duelo com o rival. Isso porque Réver ainda não jogou contra o Cruzeiro em 2019. No primeiro clássico do ano, na primeira fase do Mineiro, Rabello atuou ao lado de Iago Maidana. Nas finais, jogou ao lado de Léo Silva. Agora, terá seu parceiro mais “fiel” ao lado.


Até aqui, Réver e Igor Rabello entraram em campo, juntos, em 22 partidas. O retrospecto – no que diz respeito a resultados dos jogos – é bom. Foram 13 vitórias do Atlético, cinco empates e apenas quatro derrotas, o que significa um aproveitamento de 66,66%. A estatística de gols sofridos, por outro lado, não é tão boa assim. Nos 22 jogos com Réver e Rabello, o Galo sofreu 23 gols, o que dá uma média pouco superior a um gol sofrido por partida.


O primeiro clássico é com mando de campo do rival, e um empate sem gols, por exemplo, não seria mau resultado, já que deixaria o Atlético em condições de atuar no Independência, no jogo da volta, precisando de uma vitória simples para avançar às semifinais da Copa do Brasil. Um bom desempenho defensivo, portanto, é essencial no Mineirão. E passa, claro, pela atuação de Réver e Igor Rabello. A dupla terminou bem a primeira metade do ano, antes da pausa para a Copa América, mas também valoriza a pausa, usada para intensos treinamentos.


“Treinamento é tudo. Se você não fizer o treinamento, posicionar a equipe, complica. O jogo está muito tático. Essa parada pra gente treinar ajuda bastante. A gente já estava bem melhor com o Rodrigo acertando nosso posicionamento como ele quer. Com esse treinamentos vamos poder melhorar mais ainda”, avaliou Igor Rabello.


O posicionamento, citado por Rabello, envolve uma troca promovida por Rodrigo Santana. Réver começou a temporada atuando pela direita, enquanto Igor jogava pela esquerda. Nos últimos jogos antes da pausa para a Copa América, o treinador inverteu. Os dois zagueiros já disseram que não veem problema na troca de lado.


Ainda é cedo para medir os efeitos estatísticos da mudança de posicionamento, mas fato é que Rodrigo Santana tem conseguido que o Atlético apresente uma evolução defensiva. Desde que assumiu o Galo, o time sofreu mais de um gol em apenas três jogos (dos 17 comandados por ele).