Vereador, marido de Rosângela Reis, renuncia para não ser preso; ele e demais vereadores presos perdem os direitos políticos


Vereador, marido de Rosângela Reis, renuncia para não ser preso; ele e demais vereadores presos perdem os direitos políticos

A sexta-feira (15) foi de expectativa na Câmara de Ipatinga. A carta de renúncia do então vereador Paulo Reis (Pros), que é investigado no âmbito da Operação Dolos do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), foi lida no plenário da Câmara. Com isso, Paulo Reis não é mais vereador e os assessores de seu gabinete foram exonerados. 

Outro fato aguardado desde o início desta sexta-feira era a apresentação da carta de renúncia do vereador José Geraldo Andrade (Avante), preso quinta-feira (14). Entretanto, esse fato não ocorreu até o fechamento desta edição. O irmão dele, Célio Andrade, também foi preso nessa sexta-feira, após se entregar às autoridades. Ele é acusado de participar dos esquemas de recolhimento de parte dos salários dos assessores do gabinete do vereador.

Inelegíveis

Em entrevista à imprensa, o procurador da Câmara de Ipatinga, Adalton Lúcio Cunha, informou que mesmo com a renúncia de Paulo Reis, ele está inelegível por oito anos, de acordo com a Lei Complementar 64/1990 (Lei da Ficha Limpa). Isso também vale para todos os vereadores que foram citados na denúncia protocolada pelo presidente da Câmara, Jadson Heleno (SD), entre eles, Wanderson Gandra (PSC), Rogério Antônio Bento, o Rogerinho (ex-PSL) e Luiz Márcio Rocha Martins (PTC). "Paulo Reis estará inelegível pelo prazo de oito anos, contados a partir do fim do seu mandato. Para não haver essa inelegibilidade, Paulo Reis deveria ter renunciado antes da denúncia ter sido protocolada pelo presidente da Câmara, no dia 21 de fevereiro deste ano", explicou Adalton. 

Suplente de Paulo Reis

Ainda conforme Adalton, a carta de renúncia de Paulo Reis atendeu a todos os requisitos do artigo 23 do Regimento Interno da Câmara, com assinatura e firma reconhecida. "A renúncia e o parecer da Câmara foram lidos na reunião extraordinária desta sexta-feira (15) na Casa Legislativa, pelo presidente Jadson Heleno. Então, a partir de agora, Paulo Reis está definitivamente fora do Legislativo de Ipatinga. Segundo nosso regimento, a Câmara já está autorizada a convocar seu suplente, Adelson Fernandes (Pros), para compor o plenário na próxima reunião ordinária, na quarta-feira (20). Em relação aos assessores do ex-vereador, eles já estão exonerados", detalhou.