Senadores de Minas votam a favor da aprovação do reajuste salarial para ministros do STF

Senadores de Minas votam a favor da aprovação do reajuste salarial para ministros do STF

Os três senadores de Minas Gerais votaram favoravelmente ao reajuste. Efeito cascata pode complicar ainda mais o início da gestão de Romeu Zema


Após uma articulação relâmpago do presidente do Senado, Eunício Oliveira(MDB-CE), o reajuste de 16,38% nos salários de ministros do Supremo Tribunal Federal(STF) foi aprovado nesta quarta-feira, 7, pelos senadores e segue para sanção presidencial. Com isso, o teto do funcionalismo público passa de R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32.




Ministros do STF ganham um dos mais altos salários para membros de suprema corte no mundo, superando seus colegas europeus


Os três senadores mineiros, Aécio Neves (PSDB), Antônio Anastasia (PSDB) e Zezé Perrela (MDB) votaram favoravelmente ao reajuste, o que poderá gerar um efeito de aumento salarial em cascata para a união e também para Minas Gerais. O estado, que já enfrenta grave crise financeira, corre risco de insolvência justamente devido ao elevado comprometimento de suas receitas com o pagamento da folha de pessoal.


Efeito cascata pode afetar Minas


Na prática, este aumento em cadeia que deverá produzido por este reajuste terá impacto na folha de pagamento do estado, o que pode tornar ainda mais complicado o início da gestão do governador eleito Romeu Zema.