Protestos contra cortes na educação ocorrem em ao menos 22 Estados e DF


Protestos contra cortes na educação ocorrem em ao menos 22 Estados e DF

Ao menos 22 Estados e o Distrito Federal têm protestos pacíficos, que iniciaram desde a manhã desta quarta-feira (15). O mote principal dos protestos é contra os cortes promovidos na educação pelo governo de Jair Bolsonaro. Mas outros temas, como a crítica à Reforma da Previdência, estão presentes em boa parte dos atos.


Belo Horizonte


Na capital mineira, estudantes do Cefet iniciaram a manifestação na avenida Amazonas por volta das 7h e seguiram, a pé, até a Praça da Estação, onde se encontraram, por volta das 9h30, com outros manifestantes, vindos da Faculdade de Medicina da UFMG. Por volta das 11h, a praça já estava lotada principalmente de estudantes, doentes, servidores e dindicalistas.


Brasília


Em Brasília, centenas de manifestantes se reuniram em frente à Biblioteca Nacional, entoando gritos como "A UNB (Universidade de Brasília) não é balbúrdia". Eles seguiriam para o gramado em frente ao Congresso Nacional e, depois, devem retornar pela Esplanada dos Ministérios e realizar um novo ato em frente ao prédio do MEC.


São Paulo


Em São Paulo, diversas escolas particulares também aderiram à greve. No início da manhã, alunos da USP protestaram em frente a uma das entradas da universidade. A manifestação na cidade está marcada para acontecer às 14h, na avenida Paulista. No Rio de Janeiro, o protesto vai iniciar às 15h, na Candelária.


Fortaleza


Em Fortaleza (CE), o ato começou bem cedo, às 5h, com bloqueio da Avenida da Universidade, no Bairro Benfica por um grupo de estudantes de instituições federais do Ceará. Por volta de 7h20, os manifestantes seguiram para o centro da capital cearense.


Salvador


Em Salvador, milhares de pessoas se encontraram na praça do Campo Grande, de onde sairão em passeata até a Praça Castro Alves. O ato teve teatro e instrumentos de percussão.


Curitiba


Em Curitiba (PR), os protestos se concentraram na Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde uma bandeira do Brasil foi estendida na escadaria em frente à instituição. Às 10h30, o grupo seguiu em direção ao Centro Cívico, e depois iria para a Prefeitura de Curitiba e, por fim, no Palácio Iguaçu, sede do governo estadual. 


Outras capitais


Também ocorrem protestos em Goiás, Tocantins, Pernambuco, Sergipe, Maranhão, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Amazonas, Acre, Roraima e Mato Grosso do Sul.