Polícia suspeita que bando vendia carne de cavalo como se fosse bovina em Ubá, MG

Polícia suspeita que bando vendia carne de cavalo como se fosse bovina em Ubá, MG

Carne de cavalo estaria sendo misturada à carne de boi


Meia tonelada de carne imprópria para o consumo e 40 cabeças de gado foram apreendidas nesta quinta-feira (1º) em Ubá, na Zona da Mata, em uma operação conjunta da Polícia Civil com o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) de combate ao comércio de carne clandestina na região. Quatro pessoas foram conduzidas à delegacia e duas presas por crime contra as relações de consumo. O dono de um matadouro está foragido.


O delegado Gabriel Hillen, da Polícia Civil, contou que as investigações começaram após denúncias de que a carne que era distribuída em açougues da cidade estavam sendo armazenadas de forma imprópria para consumo, comprometendo a saúde dos moradores da cidade. “A princípio, as irregularidades caracterizam crime contra as relações de consumo apenável com prisão de dois a cinco anos e o responsável vai ser indiciado ao fim do procedimento administrativo”, afirmou Hillen.



Em um matadouro, a polícia encontrou a carne de boi armazenada em uma câmara fria improvisada, um machado que era usado para matar os bois em um ambiente próximo ao que viviam os animais. Segundo o fiscal do IMA Alembert Santos, como os procedimentos são proibidos, o matadouro deverá ser interditado. “Não havia condição de higiene nenhuma e o acondicionamento se vê pela estrutura da câmara. E como não tem registro, a gente vai inutilizar a carne considerada imprópria pra consumo e interditar o local”, explicou Santos.


Além do comércio ilegal, a Polícia investiga se os bois apreendidos haviam sido furtados de fazendas da região.


Cavalo. Em um matadouro, os fiscais encontraram carne de cavalo. Segundo o IMA, no Brasil, é permitido o abate de cavalos, mas a polícia acredita que o produto era vendido como carne de boi. Lembrando que a venda de carne de cavalo não é proibida no Brasil, mas é preciso especificar sempre qual a origem do produto.

Siga o Instagram do Portal Minas SEGUIR

Em Destaque