PF faz nova investida contra aliados de Bolsonaro em mega-operação nesta quinta-feira

PF faz nova investida contra aliados de Bolsonaro em mega-operação nesta quinta-feira

Em uma operação abrangente, 33 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e 48 medidas cautelares diversas da prisão estão sendo executados em 10 estados e no Distrito Federal, sob autorização do Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta fase da Operação Tempus Veritatis, que desvenda uma suposta trama visando interferir nas Eleições Presidenciais de 2022 em favor de uma intervenção militar, surgem controvérsias nas redes sociais.


Entre os alvos da operação estão ex-ministros do ex-presidente Jair Bolsonaro, incluindo o general Braga Neto, o general Augusto Heleno, o presidente do PL Valdemar Costa Neto e Anderson Torres.


Segundo informações, o primeiro núcleo da operação concentrou-se na disseminação de informações falsas sobre as Eleições de 2022, questionando a integridade do sistema eletrônico de votação. Essa narrativa, iniciada em 2019, persistiu mesmo após os resultados do segundo turno.


O segundo núcleo, composto por ex-militares e figuras políticas influentes, buscava ativamente subsidiar um golpe de Estado, visando a abolição do Estado Democrático de Direito. Estratégias para minar as instituições democráticas eram tramadas em um ambiente politicamente sensível.


Nas redes sociais, correligionários do ex-presidente Jair Bolsonaro já acusam a operação como mais uma manobra de perseguição do ministro Alexandre de Moraes. A polarização em torno do evento reflete a tensão política existente no país.

Participe da nossa enquete

Na sua opinião quem é o culpado pela dívida bilionária que quebrou o estado de Minas Gerais?
Resultados