Partidos entram na justiça contra aplicativo que revela a 'ficha' de políticos corruptos

Partidos entram na justiça contra aplicativo que revela a 'ficha' de políticos corruptos

Aplicativo que usa o reconhecimento facial para detectar políticos corruptos pode ser proibido pela justiça


Parlamentares de alguns partidos políticos entraram na última segunda-feira (11) com uma ação judicial pedindo a proibição do aplicativo conhecido como "Detector de Ficha de Político" que havia sido lançado no mês de abril. A ação pede ainda a remoção do aplicativo que está disponibilizado nas lojas de APPs do Google e da Apple.


O processo vai tramitar com segredo de justiça. A principal alegação é de que o app viola a privacidade das pessoas, além de expor processos em tramitação e que ainda não foram julgados.


Apelidado pelos populares de "Detector de Corruptos", o Detector de Ficha de Político funciona usando um sistema avançado de reconhecimento facial em que basta o eleitor apontar a câmera para o político ou enviar uma imagem para ter acesso a ficha criminal do político fotografado. O app pode ser utilizado durante um debate entre candidatos ou em propagandas na rua, por exemplo.


A base de dados inclui quem ocupou, nos últimos oito anos, os cargos de presidente, vice-presidente, senador, deputado federal e governador, além  de todos os atuais pré-candidatos à Presidência e aos governos dos estados.


Para mostrar os processos na Justiça, o aplicativo utiliza a base de dados em tempo real de diversos tribunais, como STF, STJ, TJs e TRFs. Atualmente o aplicativo está disponível para ser baixado tanto para os sistemas android ou IOS.


Até a decisão final da justiça o aplicativo pode ser baixado gratuitamente na VERSÃO PARA ANDROID e também na VERSÃO PARA IPHONE.

Siga o Instagram do Portal Minas SEGUIR

Em Destaque