Moradores de Brumadinho fazem ato contra fim do auxílio emergencial da Vale


Moradores de Brumadinho fazem ato contra fim do auxílio emergencial da Vale

Moradores de Brumadinho, na Região Metropolitana, fazem um protesto nesta segunda-feira (2) na entrada da cidade. O motivo do ato é a restrição dos valores pagos pela Vale como auxílio emergencial anunciado na semana passada.


Durante este ano, moradores de Brumadinho e atingidos pela tragédia da Vale num raio de um quilômetro ao longo do Rio Paraopeba receberam o auxílio. Em acordo firmado na última semana, ficou definido que o auxílio continuará a ser pago de forma integral a moradores dos bairros do Córrego do Feijão, Parque da Cachoeira, Alberto Flores, Cantagalo, Pires e nas margens do Córrego Ferro-Carvão. Quem vive em outras áreas, mas participa de algum programa de apoio, também vai continuar recebendo o valor total do auxílio. Para as demais pessoas, o valor será reduzido em 50%.


Reivindicações



  • Os moradores pedem a manutenção do auxílio emergencial de 100% para toda população de Brumadinho sem distinção de localidade e sem data de término ou até reparação total do município;
    Assessoria técnica nas comunidades;

  • Psicólogos e psiquiatras nas comunidades;

  • Transparência da Prefeitura com todo dinheiro investido em Brumadinho. Sejam repasse da Vale, governo estadual e federal;

  • Prestação de contas sobre o dinheiro das doações em contas bancária da prefeitura da época do rompimento da barragem;

  • Representação das comunidades atingidas em espaço de debate e negociação junto as instituições de Justiça e Vale;

  • Reunião com mineradoras para melhorias na comunidade do Tejuco.
    Que a pauta dos agricultores seja atendida;

  • Indenização justa para os moradores da Ponte dos Almorremas e contra partida para comunidades.