Ministério Público pode investigar autoridades de Minas Gerais por postura anti-vacina

Ministério Público pode investigar autoridades de Minas Gerais por postura anti-vacina

Pedro Rousseff, conselheiro municipal da Juventude em Belo Horizonte, solicitou ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) a abertura de um inquérito para investigar a conduta do governador Romeu Zema (Novo), do deputado federal Nikolas Ferreira (PL), e do senador Cleitinho Azevedo (Republicanos). A demanda surge após a divulgação de um vídeo no qual os três anunciaram o fim da obrigatoriedade da vacinação para crianças na rede pública de Minas Gerais.


O vídeo, compartilhado nas redes sociais do governador e do senador, gerou críticas da oposição no estado. Zema afirmou ao lado do deputado e do senador que os estudantes da rede estadual de ensino não serão obrigados a se vacinar para frequentar as aulas. No entanto, não fica claro se a desobrigação se aplica a todas as vacinas ou apenas à Covid-19, questão questionada pela extrema-direita.


Na representação enviada ao procurador-geral Jarbas Soares, Rousseff alega que a postura dos três "desincentiva a vacinação em Minas Gerais - em um momento de redução nacional da cobertura vacinal" e vai contra disposições legais relacionadas à saúde da população infanto-juvenil.


O documento destaca que, ao defenderem a não-obrigatoriedade da vacinação, os representados sabem que estão indiretamente estimulando a omissão dos pais na efetivação do direito à saúde de seus filhos, tornando-se responsáveis pela diminuição da cobertura vacinal no estado. O fato de possuírem milhões de seguidores nas redes sociais torna ainda mais agravante a postura adotada no vídeo, segundo Rousseff.


Para ele, trata-se de um posicionamento político por parte do governador e dos parlamentares, que preferem confabular com a extrema-direita para atacar a vacina, em vez de focar em defender investimentos em saúde no estado.


Até o momento, o governador, o deputado e o senador não se pronunciaram sobre a representação. O desdobramento desse pedido junto ao Ministério Público promete ser acompanhado de perto, visto seu impacto no cenário político e de saúde em Minas Gerais.

Siga o Instagram do Portal Minas Seguir