Irmão do prefeito de Patrocínio diz que matou mesmo e alega legítima defesa


Irmão do prefeito de Patrocínio diz que matou mesmo e alega legítima defesa

Os delegados da Polícia Civil Ana Beatriz de Oliveira Brugnara, Valter André e Renato Mendonça ouviram, na tarde de ontem (27), o depoimento do secretário de obras de Patrocínio, na região do Alto Paranaíba. Jorge Marra, de 60 anos, admitiu ter assassinado o candidato a vereador no município, Cássio Remis, de 37. O crime ocorreu na última sexta-feira (25), logo após Remis realizar uma live falando dos problemas relacionados a uma obra. A Polícia Civil informou que Marra alegou legítima defesa.


Conforme o delegado regional André, desde sexta-feira (25), a polícia tentava uma entrega espontânea do suspeito. Marra se apresentou às 14h, na delegacia de Patrocínio. O depoimento durou, conforme André, cerca de três horas. Depois, ele foi levado para uma prisão – o local não foi divulgado para a manutenção da segurança de Marra. O delegado Renato, por sua vez, esclareceu que Marra estava passando pelo local da live e pegou o celular da vítima.


O secretário, então, foi para a casa, e a vítima o seguiu. Por causa da discussão, Marra disse ter pensado que Cássio iria fazer uso da violência e, por isso, ele “não viu alternativa e disparou”. O embate, inclusive, continuou dentro do carro, após a chegada do candidato. Ele falou ainda aos delegados que não se lembra quantos disparos, nem outros detalhes após o crime.


Fuga


A Polícia Civil acredita que Marra teve ajuda para fugir para Perdizes, mas as investigações sobre o assunto ainda estão em apuração. Algumas informações estão sob sigilo.


Crimes


O secretário pode ser condenado por roubo [do celular da vítima], porte de arma de fogo, além de homicídio.


Relembre o crime


A confusão entre os dois começou quando Cássio, que já foi vereador da cidade e até presidente da Câmara Municipal de Patrocínio, fazia uma live no perfil dele do Facebook. Na gravação, ele denunciava que funcionários da prefeitura faziam uma obra na avenida João Alves do Nascimento, próximo ao local onde será o comitê do prefeito da cidade.


“Para nossa surpresa, mas não para nossa estranheza, nos deparamos com funcionários sendo utilizados para fazer calçamento onde será o comitê eleitoral do prefeito. Funcionários da prefeitura com máquinas da prefeitura à disposição para fazer passeio. Quantos de vocês tiveram condição de ter este asfaltamento aqui? Ninguém. Nenhum de vocês”, disse Cássio.


Fonte: BHAZ


2020-9-28 12:37 pm Minas Gerais 2606 0 0