'Infelizmente Santana do Paraíso se tornou uma cidade dormitório', destaca Rogério


'Infelizmente Santana do Paraíso se tornou uma cidade dormitório', destaca Rogério

Praça da Matriz no centro de Santana do Paraíso (imagem redes sociais)


Rogério Anício, empreendedor do setor de turismo de Santana do Paraíso e editor do Portal Minas, comparou Santana do Paraíso como uma ‘cidade dormitório’ durante sua live que realiza semanalmente na internet. Na ocasião, ele ressaltou pontos que precisam ser melhorados para que o município se torne destaque dentre as cidades da região.


“É impressionante como a nossa cidade não conseguiu se desenvolver e superar o problema do desemprego galopante. Infelizmente Santana do Paraíso é vista hoje como uma cidade dormitório, onde a população se tornou dependente de políticas públicas nas cidades vizinhas, sobretudo Ipatinga", ponderou. 


Em sua LIVE que realiza toda semana para conversar com moradores, Rogério destaca a importância de atrair novas empresas para a cidade 


Para sustentar a ideia de que o município paraisense precisa atrair novas empresas para se desenvolver, Rogério fez um comparativo entre algumas cidades de Minas que, mesmo em um cenário de crise, conseguiram gerar as condições necessárias para que pequenas, médias e grandes empresas se instalem neste municpipios gerando emprego e renda.


“Em Ouro Preto, a administração do município conseguiu diversificar a economia através de uma Lei de Incentivos e atraiu 11 novas pequenas e médias empresas que vão gerar cerca de 700 novos empregos na cidade.Em Jacutinga, cidade menor que Santana do Paraíso, o prefeito conseguiu vencer a disputa com outras quatro cidades mineiras e conseguiu trazer uma gigante na produção de embalagens de vidros que está investindo R$ 330 milhões e vai gerar centenas de novos empregos. Eu pergunto o seguinte: Santana do Paraíso agora é a cidade do que?”, questionou.




Rogério citou a cidade de Jacutinga que venceu uma disputa com outras cidades mineiras e conseguiu atrair uma multinacional de embalagens que está investindo R$ 330 milhões no município.


Ele ainda disse que Santana do Paraíso hoje vive de emendas parlamentares pontuais que alguns deputados enviam para a cidade. "São coisas muito pequenas. A cidade, hoje endividada, não tem capacidade própria de investir em praticamente nada", afirmou.


Pré-candidato?


Rogério Anício ainda explicou que não pode afirmar com certeza se será ou não candidato na próxima eleição municipal, já que o partido ao qual é filiado, o NOVO, decidiu lançar candidatos em apenas 20 municipios de Minas. 


"Recebi convites de políticos da cidade para me filiar em outra legenda e ser candidato em 2020 e tenho recebido também incentivo de algumas lideranças estaduais do NOVO que me convidaram a permanecer para colaborar com partido com vistas à eleição de 2022. A própria população de Santana do Paraíso vai ajudar para que eu possa tomar uma decisão. Na política eu aprendi que "querer não é poder". Ninguém consegue viabilizar uma candidatura ao executivo se um boa parcela da população não 'comprar' a ideia. De qualque maneira vejo muito se falar em nomes mas ninguém diz o que de fato pretende fazer para tirar Santana do Paraíso desse atraso", finalizou ele.