Homem mantem ex-companheira em cárcere a espanca e tenta estupra-lá, em Sete Lagoas


Homem mantem ex-companheira em cárcere a espanca e tenta estupra-lá, em Sete Lagoas

Quatro meses após o término do namoro, um homem de 35 anos tentou estuprar a ex-companheira, uma mulher de 42 anos, a espancou e a manteve detida em cárcere na casa dela em Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais. As sessões de espancamento e ameaças aconteceram ao longo de toda a noite de sábado (30) e madrugada de domingo (1°). O suspeito decidiu libertá-la e ir embora da casa dela já na manhã e, depois disso, a mulher conseguiu ir até a polícia e denunciá-lo. Apesar do rastreamento policial, o homem não foi encontrado.


Aos militares, a mulher contou estar recebendo ameaças ao longo dos últimos quatro meses. Estas começaram logo após o término do relacionamento. Na noite de sábado (30), o homem seguiu até a casa dela e começou a bater no portão e gritar em frente ao imóvel. Assustada, ela abriu a porta da sala de estar e questionou o que ele desejava, como relatou a vítima.


O suspeito teria, então, respondido que queria apenas ter “uma conversa amigável” e, assim, a mulher o deixou entrar no imóvel. Na casa, o homem a assediou e tentou obrigá-la a manter relações sexuais. No entanto, ao perceber que a mulher o havia recusado, o suspeito teria apertado o pescoço dela e tampado nariz e boca da mulher para sufocá-la. Após alguns segundos, ele ainda a teria jogado no chão. Há no corpo da mulher hematomas no lado esquerdo do peito, escoriações no nariz e outros ferimentos. Ao longo da noite, o homem continuou a ameaçá-la, como descrito no boletim de ocorrência, e a deixou trancada na casa.


Já pela manhã, por volta das 7h de domingo (1°), o criminoso teria decidido sair da casa e libertá-la. Mas, antes disso, ele quebrou um dos celulares dela e roubou outro, que estava guardado na bolsa da mulher, como ela queixou à polícia. Os agentes foram até a casa da tia do homem, com quem ele vive. Ela permitiu a entrada dos policiais, que nada encontraram por lá.