Homem é preso com cavalos que seriam usados para fabricar mortadela

Homem é preso com cavalos que seriam usados para fabricar mortadela

Na madrugada deste domingo (18/2), a polícia efetuou a prisão de um homem de 48 anos que transportava 27 cavalos destinados ao abate ilegal para consumo humano. O flagrante ocorreu na cidade de Aral Moreira, na fronteira entre Brasil e Paraguai. Os equinos, que seriam utilizados na produção de embutidos como mortadela e salsicha, estavam sendo transportados em condições precárias.


O motorista do caminhão, detido durante a operação, informou que os cavalos foram adquiridos por R$ 8.100 e seriam revendidos por R$ 21,6 mil. A apreensão ocorreu em Potirendaba (SP), e os animais seriam entregues em um assentamento, onde outra pessoa assumiria o transporte até o Paraguai.


Dos 27 cavalos apreendidos, 13 são fêmeas e 14 machos. A polícia constatou que os animais estavam debilitados, com lesões de pisadura (machucados) de arreio/sela, indicando más condições de transporte e práticas de manejo inadequadas.


A prisão faz parte de uma força-tarefa desencadeada após fiscalização da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e é um esforço para coibir o abate ilegal de animais. A polícia estima que o homem realizava, em média, quatro viagens por mês até o assentamento, transportando os animais em gaiolas metálicas sem piso emborrachado, violando as boas práticas de manejo recomendadas pelo Ministério da Agricultura.


Os cavalos apreendidos foram resgatados de condições precárias, e a polícia continuará monitorando para evitar o abate ilegal desses animais.

Siga o Instagram do Portal Minas Seguir