Ex-candidato à deputado pelo PT de Minas admite que mentiu à polícia sobre tentativa de assalto

Ex-candidato à deputado pelo PT de Minas admite que mentiu à polícia sobre tentativa de assalto

O humorista Gustavo Mendes, conhecido por suas imitações de Dilma Rousseff, foi obrigado a admitir, através das redes sociais, que não havia sido vítima de assalto, como ele havia afirmado inicialmente. A história contada por Mendes foi desmentida pela Polícia Civil de Juiz de Fora, que investigou o caso e apontou que a vítima não havia sido assaltada, mas sim agredida após um desentendimento com o agressor.


Em um post no Instagram, Mendes afirmou ter sido agredido em uma tentativa de assalto no início de fevereiro. No entanto, a Polícia Civil de Juiz de Fora, liderada pelo delegado Daniel Buchmuller, apontou que as câmeras de segurança do local mostraram que o humorista e o agressor haviam se desentendido minutos antes da agressão.


De acordo com o delegado Buchmuller, o agressor retornou ao local após o desentendimento, e em seguida, pegou duas pedras e acertou a cabeça de Mendes. O humorista então iniciou uma perseguição, mas o agressor conseguiu escapar.


Mendes, que tomou "duas pedradas na cabeça bem fortes", usou as redes sociais para esclarecer a situação e se desculpar pelo engano. Ele afirmou: "Eu me equivoquei nessa denúncia, mas o ato em si está ali. Eu fui vítima dessa agressão, sofri uma agressão e poderia estar morto a essa hora".


A Polícia Civil de Juiz de Fora continua investigando o caso e buscando pelo agressor, que ainda não foi identificado e está foragido. Enquanto isso, a opinião pública se divide sobre a verdadeira natureza dos fatos, e se Mendes agiu de má-fé ou se foi vítima de sua própria confusão mental.


Gustavo Mendes é filiado ao PT e foi candidato à deputado federal pelo partido na eleição de 2022.