Entidade de defesa dos direitos humanos denuncia execução de lutador no Irã


Entidade de defesa dos direitos humanos denuncia execução de lutador no Irã

A instituição Iran HRM (Monitor de Direitos Humanos do Irã, em tradução livre) anunciou neste sábado (12) que o lutador Navid Afkari foi executado por enforcamento.


Segundo a agência de notícias Reuters, o lutador de 27 anos recebeu duas penas de morte após ser condenado por matar um segurança a facadas e por outras acusações ligadas a protestos antigoverno no ano de 2018.


Porém, segundo familiares de Afkari e ativistas, o atleta teria sido torturado para fazer uma confissão falsa. Além disso, o advogado do atleta disse que não havia provas da culpa de seu cliente.


Lamento do COI


O Comitê Olímpico Internacional (COI) emitiu uma nota neste sábado lamentando a execução do lutador: “A execução do lutador Navid Afkari no Irã é uma notícia muito triste. O COI está chocado com o anúncio de hoje. Em cartas, Thomas Bach, presidente do COI, fez apelos pessoais diretos ao Líder Supremo e ao Presidente do Irã nesta semana e pediu misericórdia para Navid Afkari, respeitando a soberania da República Islâmica do Irã (...). Nossos pensamentos estão com a família e amigos de Navid Afkari”.


Notícia devastadora


Outra entidade a lamentar a morte do atleta foi a United World Wrestling (Federação Internacional de Wrestling, em tradução livre): “É profundamente perturbador que os apelos de atletas de todo o mundo e todo o trabalho de bastidores da United World Wrestling e da Federação Iraniana de Wrestling, em conjunto com o COI junto e o Comitê Olímpico do Irã, não tenham alcançado nosso objetivo. A notícia é devastadora e toda a comunidade do wrestling lamenta a morte”.