Empresa de fundo árabe vai investir em biocombustíveis de macaúba no Norte de Minas

Empresa de fundo árabe vai investir em biocombustíveis de macaúba no Norte de Minas

A empresa de energia Acelen anunciou um importante projeto de inovação e tecnologia no setor de biocombustíveis que será implantado em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais. Este investimento de destaque foi revelado durante a participação de Minas Gerais na 28ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (COP28), realizada em Dubai, nos Emirados Árabes.


O projeto receberá um investimento total de R$ 125 milhões e tem como objetivo principal o desenvolvimento agroindustrial da produção de óleo vegetal e outros produtos a partir da macaúba. Além de promover avanços tecnológicos nessa área, o empreendimento prevê a criação de 260 empregos na região.


A unidade da Acelen em Montes Claros será um centro de excelência em biocombustíveis, com foco em melhoramento genético, produção de mudas e manejo agronômico. O objetivo é garantir a qualidade do produto, reduzir os custos de produção e expandir o cultivo da macaúba.


Entre os subprodutos da macaúba, destacam-se os biocombustíveis, como o biodiesel, e combustíveis para aviação. Esses produtos desempenham um papel fundamental na redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE), contribuindo para a preservação do meio ambiente.


O vice-governador de Minas Gerais, Professor Mateus, comemorou a perspectiva da inauguração do centro de pesquisa e produção em Montes Claros, enfatizando que esse projeto trará benefícios significativos para o estado, incluindo geração de riqueza, avanços tecnológicos e oportunidades de emprego.


A Acelen é uma empresa gerida pelo Mubadala Capital, subsidiária de gestão de ativos da Mubadala Investment Company, um investidor soberano global com presença em mais de 50 países, atuando em diversos setores.


O diretor de Atração de Investimentos da Invest Minas, Leandro Andrade, destacou a importância desse investimento para a economia mineira, ressaltando que Minas Gerais se tornou uma opção atrativa para investimentos em sustentabilidade, o que resulta em mais recursos para as cidades e mais empregos para os habitantes do estado.


Este projeto na área de biocombustíveis é o segundo anúncio importante revelado durante a participação de Minas Gerais na COP28. Na semana passada, a empresa Harsco Environmental também divulgou planos de investir R$ 220 milhões na expansão de sua unidade de coleta e beneficiamento de resíduos industriais em Timóteo, no Vale do Aço, criando cerca de 70 novos empregos. Esse projeto visa à reciclagem de resíduos industriais e oferece produtos eco-friendly, como sucata metálica, neobrita (brita ecológica) e agrosilício (fertilizante e corretivo de solo).


Minas Gerais tem se destacado por suas iniciativas sustentáveis e está comprometido em enfrentar os desafios das mudanças climáticas, como demonstrado durante o Minas Day na COP28, apresentando planos de ação climática e casos de sucesso de empresas comprometidas com a sustentabilidade ambiental.


Participe da nossa enquete

Na sua opinião quem é o culpado pela dívida bilionária que quebrou o estado de Minas Gerais?
Resultados