Em evento na UFMG, Dilma defende volta da CPMF

Em evento na UFMG, Dilma defende volta da CPMF

Durante o pronunciamento na aula inaugural do curso ““O impeachment de 2016 como golpe de Estado”, realizada pela Universidade Federal de Mimas Gerais (UFMG), a ex-presidente e candidata a senadora por Minas Gerais Dilma Rousseff (PT), afirmou que, no Brasil, não são cobrados muitos impostos e defendeu o retorno da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

“Temos que parar com essa história de que no Brasil se paga muito imposto. Quem paga muito imposto é assalariado e classe média. Por isso, acho muito grave não ter CPMF. A CPMF é em cima da transação financeira. Uma pessoa que tem transação de R$ 100 milhões de reais, paga 0,38% disso. Uma outra que tem transação de R$ 6 mil, paga 0,38%”, afirmou a candidata.

Além das pautas econômicas, Dilma voltou a atacar o processo de impeachment e defendeu a necessidade de se discutir a questão. No curso oferecido pela UFMG, há 32 matérias de diversas áreas abordando o impeachment.