Em 2023, Ipatinga registrou 4.020 acidentes automobilísticos

Em 2023, Ipatinga registrou 4.020 acidentes automobilísticos
Em 2023, Ipatinga registrou 4.020 acidentes automobilísticos

15,73% foram considerados graves


Os dados foram compartilhados pela Polícia Civil. A cidade de Ipatinga registrou até este o início deste mês de dezembro de 2023 um total de 4.020 acidentes automobilísticos, ocupando atualmente a oitava posição no estado, atrás de Belo Horizonte, Contagem, Uberlândia, Betim, Juiz de Fora, Uberaba e Montes Claros. Dentre esses acidentes, 83,34% foram classificados como leves, enquanto 15,73% foram considerados graves. O ano de 2023 apresenta uma leve estabilidade em comparação a 2022, quando foram registrados 4.122 acidentes automobilísticos. As ocorrências de 2023 representam 2,44% do total do estado de Minas Gerais.

Entre essas ocorrências, a colisão frontal é a mais perigosa, envolvendo apenas veículos automotores, com 742 acidentes; a colisão lateral registrou 908 casos, ficando atrás do choque com 1.132 ocorrências policiais.

Os automóveis representam 64,84%, seguidos pelas motocicletas com 20,79%, caminhões com 4,37%. As bicicletas aparecem em sexto lugar, contribuindo com 1,88% dos acidentes. Dos 4.020 acidentes registrados, houve o envolvimento de 7.210 veículos.

Um dado que chamou a atenção foi o baixo índice de acidentes envolvendo veículos de aprendizagem, com apenas sete casos em todo o ano, embora ainda tenha havido um aumento, uma vez que em 2022 foram registrados apenas cinco casos. Os veículos alugados representaram 3,98% dos acidentes, com 281 veículos envolvidos.

O mês de julho de 2023 foi o mais violento no trânsito, com 427 registros de acidentes, enquanto janeiro foi o mês menos violento, com 292 ocorrências.
A Avenida Selim José de Sales continua sendo a com maior índice de acidentes automobilístico.

O Delegado Chefe do 12º, Delegado Gilmaro Alves Ferreira, destaca que o índice de acidentes não pode ser analisado de forma isolada, devido aos diversos fatores que podem influenciar, tais como o número de veículos em uma cidade, a infraestrutura viária, o comportamento dos motoristas, as condições meteorológicas, a iluminação nas vias, o desenho urbano e as condições dos veículos, entre outros. “É crucial realizar um trabalho de conscientização dos motoristas para reduzir esses números, uma vez que isso certamente também impacta a saúde pública de uma cidade, dado que os atendimentos geralmente são conduzidos pelo sistema único de saúde.

Além disso, é importante ressaltar que tais acidentes acarretam custos significativos para a sociedade, tanto em termos pessoais quanto econômicos. Portanto, é imperativo adotar medidas que visem à prevenção, contribuindo não apenas para a segurança nas vias, mas também para a redução dos encargos relacionados a esses eventos”.

Assista ao Vídeo

Participe da nossa enquete

Na sua opinião quem é o culpado pela dívida bilionária que quebrou o estado de Minas Gerais?
Resultados