Dodô entra na Justiça pedindo que Cruzeiro cumpra acordo feito pela diretoria anterior


Dodô entra na Justiça pedindo que Cruzeiro cumpra acordo feito pela diretoria anterior
Mais um jogador que defendeu o Cruzeiro em 2019 acionou o clube na Justiça. Desta vez, foi o lateral-esquerdo Dodô, que entrou com ação pedindo para que a Raposa cumpra o acordo firmado pela diretoria anterior – encabeçada por Wagner Pires de Sá – e pague R$ 8,8 milhões de luvas pelo acionamento do gatilho no contrato de empréstimo que tornava o vínculo definitivo até dezembro de 2023.

O pagamento seria feito ao longo de 2019 e 2020. Pelo acordo feito com a Sampdoria, da Itália, Dodô chegaria ao Cruzeiro por empréstimo até o fim do ano passado e o clube celeste seria obrigado a exercer a opção de compra caso o lateral fizesse pelo menos três jogos na temporada e a equipe atingisse mais de 15 pontos no Campeonato Brasileiro.


Desta forma, a Sampdoria entende que o vínculo não existe mais e Dodô agora pertence ao Cruzeiro. Mas o Núcleo Dirigente Transitório, após assumir o controle do clube celeste no fim do ano passado, dispensou o lateral-esquerdo como parte da política de redução dos gastos para 2020.


Por isso, o lateral seguiu treinando no Brasil, mas agora, além do valor milionário das luvas, Dodô quer voltar a utilizar as dependências da Toca da Raposa II. A causa tem valor simbólico de R$ 10 mil.


Contudo, além de assumir a dívida das luvas com Dodô, a antiga direção do Cruzeiro se comprometeu a pagar R$ 1,3 milhão à Sampdoria por 90% dos direitos econômicos do jogador. Mas o valor também não foi quitado com os italianos.


Alternando com Egídio na titularidade, Dodô nunca se firmou no Cruzeiro. Foram 28 jogos com a camisa celeste e um gol marcado.