Ditadura socialista de Ortega, que tem o apoio de Lula, faz ofensiva contra a liberdade religiosa e prende 11 Pastores

Ditadura socialista de Ortega, que tem o apoio de Lula, faz ofensiva contra a liberdade religiosa e prende 11 Pastores

Na última quinta-feira (28/03), a Nicarágua testemunhou mais um ato atroz do regime socialista do ditador Daniel Ortega, com a condenação de 11 pastores associados ao ministério Mountain Gateway, com sede nos Estados Unidos. Os líderes religiosos foram falsamente acusados de lavagem de dinheiro e receberam sentenças draconianas de 12 a 15 anos de prisão, além de multas exorbitantes.


Essa ação desumana ocorreu após mais de dois meses de detenção, durante os quais os pastores foram privados de contato com seus advogados e familiares. O julgamento ocorreu a portas fechadas, sem que a defesa tivesse a oportunidade de apresentar seus argumentos. O país, infelizmente, continua sob o jugo autoritário do socialista Ortega, onde as garantias básicas de justiça são violadas de forma flagrante.


A falta de provas e evidências apresentadas pelo governo nicaraguense durante o julgamento é alarmante. A Aliança em Defesa da Liberdade (ADF Internacional) denunciou veementemente essa violação dos direitos humanos e destacou a ausência de transparência e imparcialidade no processo judicial.


"É angustiante ver as falsas acusações, julgamentos ligais e condenações desses pastores e líderes religiosos, que apenas compartilhavam sua fé e serviam à comunidade local", declarou Kristina Hjelkrem, advogada da ADF.


Um dos pastores detidos ressaltou a deterioração das liberdades na Nicarágua, afirmando: "Não temos liberdade! A ditadura de Ortega está corroendo todas as áreas da vida na Nicarágua."


Essa perseguição não é um incidente isolado, mas parte de um padrão de repressão contra a comunidade religiosa no país. A Nicarágua já figura entre os 50 países com maior perseguição aos cristãos, conforme relatório do Portas Abertas. O regime de Ortega utiliza táticas arbitrárias para silenciar e intimidar líderes religiosos, na tentativa de minar sua influência e desestabilizar a comunidade.


É alarmante notar que, enquanto esses atos de violência e opressão ocorrem, o governo brasileiro sob a liderança de Lula permanece em silêncio. Na ONU, o governo Lula se abstém de mencionar as atrocidades cometidas pelo regime de Ortega, optando por expressar apenas uma vaga "preocupação" com a situação na Nicarágua.


É fundamental que a comunidade internacional, os defensores dos direitos humanos e os líderes democráticos condenem veementemente esses abusos e exijam a libertação imediata e incondicional dos pastores detidos. A defesa da liberdade religiosa é um pilar fundamental da democracia e da dignidade humana, e não podemos permanecer em silêncio diante de tais atrocidades.


Enquanto isso, é importante apoiar veículos de mídia independentes, como a Revista Exílio, que têm coragem de denunciar essas violações dos direitos humanos, mesmo quando enfrentam censura e intimidação. O jornalismo independente desempenha um papel crucial na defesa da liberdade e na busca pela justiça em todo o mundo.



Foto de Rogério Anício
Este artigo é assinado por Rogério Anício, Editor-Chefe do Portal Minas e que oferece esta coluna semanalmente para os leitores. Email: rogerio@portalminas.com


Siga o Instagram do Portal Minas SEGUIR

Em Destaque