Deputados estaduais de Minas gastaram R$ 3,4 milhões só com combustíveis em 2018

Deputados estaduais de Minas gastaram R$ 3,4 milhões só com combustíveis em 2018

Os deputados estaduais de Minas Gerais gastaram, em 2018, R$ 3,4 milhões com combustíveis usando recursos provenientes da verba indenizatória. Com o valor, seria possível adquirir quase 775 mil litros de gasolina, de acordo com valores disponibilizados no site Mercado Mineiro, o que seria suficiente para dar 316 voltas ao mundo e, hipoteticamente, ir e voltar até a Lua 16 vezes, baseado no consumo de um carro popular 1.0.


Apesar de já ser grandioso, o valor ainda não é final, uma vez que os parlamentares têm até 60 dias para prestar as contas. Boa parte dos parlamentares ainda não lançou os gastos a serem ressarcidos no mês de novembro, e apenas três foram publicados no mês de dezembro. Os dados da reportagem foram atualizados até a primeira quinzena deste mês.


De acordo com a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), cada deputado tem direito até R$ 113,4 mil por ano para gastar com combustíveis e lubrificantes, o que daria R$ 9.450 a cada mês. Os gastos podem ser tanto em veículos de propriedade dos políticos como nos carros utilizados em razão do mandato parlamentar.


“Quando um deputado gasta acima do limite permitido, ele não é reembolsado quanto ao valor que ultrapassa o determinado pela deliberação”, disse a Casa por meio de nota.


O deputado que mais gastou com esse tipo de despesa foi Sávio Souza Cruz (MDB): R$ 90 mil sem contar o mês de dezembro, que ainda não foi computado. Durante cinco meses, o parlamentar teve o estorno máximo da modalidade, que é de R$ 9.450. Procurado pela reportagem, Cruz disse que segue as regras da Assembleia Legislativa. “Embora não cuide pessoalmente desse assunto, imagino que se explique pelo fato de manter, além do gabinete, dois escritórios regionais no interior, e todos com veículos para atendimento das demandas, estritamente dentro das regras que regem a utilização das verbas indenizatórias”, afirmou o deputado, que foi reeleito para a próxima legislatura.


Em segundo lugar no ranking está a deputada Celise Laviola, também do MDB. Ela gastou pouco mais de R$ 83 mil com combustíveis no ano, também sem contabilizar o último mês. Procurados pela reportagem no dia 20 de dezembro, assessores disseram que o gabinete já estava de recesso e não era possível se posicionar sobre os gastos da parlamentar. Laviola também foi reeleita para os próximos quatro anos.


Em terceiro lugar, apesar de não estarem lançados os meses de novembro e dezembro, está o deputado Carlos Pimenta (PDT), que segue como deputado a partir do próximo ano. Até o fechamento desta reportatem, Pimenta tinha sido ressarcido em R$ 78 mil com os gastos com combustíveis. Caso as despesas a serem lançadas fiquem na média do ano, ele vai assumir o primeiro lugar do ranking, com mais de R$ 93 mil.


Curiosamente, o mês em que os deputados estaduais mineiros foram mais reembolsados com combustíveis foi julho, quando são devolvidos os valores gastos entre o final de maio e o início de junho, período em que houve a greve dos caminhoneiros no país e a recorrente escassez de combustíveis nos postos em todo o território nacional.


As informações são do jornal O Tempo.

Participe da nossa enquete

Na sua opinião quem é o culpado pela dívida bilionária que quebrou o estado de Minas Gerais?
Resultados