Deputados adiam votação do 'Acordo da Vale' e emperram início de obras em Minas


Deputados adiam votação do 'Acordo da Vale' e emperram início de obras em Minas

Presidente da ALMG, Agostinho Patrus, adia a votação para aprovação do Acordo da Vale


Os deputados estaduais mineiros se programavam para votar, nesta terça-feira (22/6), o Projeto de Lei (PL) que direciona R$ 11 bilhões dos R$ 37,68 bilhões pagos pela Vale a Minas Gerais por causa da tragédia de Brumadinho, em janeiro de 2019.


A análise em turno único, contudo, foi adiada por uma decisão do presidente da Assembléia, Agostinho Patrus -PV em acordo com deputados de oposição ao governo.


A decisão deixou descontente a base aliada do governador Zema que esperava votar a proposta para que os recursos comecem a ser aplicados em obras prioritárias no estado.


Entenda


Os R$ 11 bilhões analisados pela Assembleia vão entrar nos cofres estaduais como crédito suplementar ao orçamento votado no fim do ano passado.

Por isso, a destinação dos recursos precisa de análise prévia do Legislativo. O acordo da Vale foi mediado pelo poder Judiciário.

No que tange aos recursos que precisam de autorização legislativa, o governo enviou cartilha detalhando a destinação das verbas. Estão previstas melhorias em estradas e pontes, além do Rodoanel da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Intervenções em hospitais regionais também estão nos planos.