Deputada defende sessão apenas com homens e declara que mulher deve ser 'submissa ao marido'

Deputada defende sessão apenas com homens e declara que mulher deve ser 'submissa ao marido'

A deputada estadual Mical Damasceno (PSD-MA) gerou polêmica ao afirmar que "o homem é o cabeça da família" e que "a mulher é submissa ao seu marido". Durante uma sessão plenária da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), ela propôs que apenas homens participem de uma sessão solene em comemoração ao "Dia da Família", agendada para o dia 15 de maio.


"Nós comemoramos o Dia da Família em 15 de maio, e aí veio uma ideia, em meu coração, que acredito que seja divina, de nós fazermos uma sessão solene aqui, mas somente com homens para mostrar à sociedade que o cabeça da família é o homem", disse a deputada. "Vamos encher esse plenário aqui de macho. A mulher tem que entender que ela deve submissão ao marido, doa a quem doer."


Mical Damasceno, que se identifica como católica praticante, dirigiu-se à presidente da Alema, Iracema Vale (PSB), para destacar que, segundo sua crença religiosa, "a cabeça da família é o homem, assim como Cristo é a cabeça da Igreja". A resposta de Vale foi irônica, pedindo "benção" à deputada e comentando que "a cabeça só vai para onde o pescoço leva".


A repercussão nas redes sociais foi imediata, com a deputada postando o vídeo da sessão e reafirmando suas declarações. Além disso, suas postagens incluem críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), evidenciando sua posição política alinhada ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e ao segmento evangélico.


Mical Damasceno foi reeleita deputada estadual pelo PSD nas eleições de 2022, com uma base de apoio de 52.123 votos. Sua declaração provocou debate sobre questões de gênero e igualdade, levantando críticas e questionamentos sobre os valores defendidos por representantes políticos. VEJA O VÍDEO:





Siga o Instagram do Portal Minas SEGUIR

Em Destaque