Concurso elege os melhores cafés e queijos artesanais mineiros de 2022

Concurso elege os melhores cafés e queijos artesanais mineiros de 2022

Ercilei José de Oliveira, do município de Manhuaçu, na região das Matas de Minas, produziu o melhor café arábica do estado, da safra de 2022. Na avaliação dos jurados do 19º Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais, a bebida tem notas de capim limão, pão de mel, melaço, rapadura, manga, goiaba, chocolate ao leite, doce de leite e casca de limão. O café preparado com os grãos revela uma acidez cítrica, com corpo denso e licoroso. Com todos esses atributos, conquistou 91,400 pontos na escala da Associação de Cafés Especiais (SCA, na sigla em inglês), entidade internacional de referência do setor. Para se chegar ao grande campeão, foram provadas cerca de 16,5 mil xícaras de café, durante as várias etapas de degustação.



Em solenidade realizada na sede da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG), em Belo Horizonte, foram premiados, nesta quarta-feira (7/12), os produtores dos melhores cafés de Minas Gerais e também os vencedores do 15º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal (QMA), além dos campeões da primeira edição do Concurso Estadual dos Queijos Artesanais de Alagoa e Mantiqueira de Minas. As competições são promovidas pela Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa - MG).


De acordo com o diretor-presidente da Emater-MG, Otávio Maia, os concursos são uma estratégia para promover a melhoria contínua da qualidade e agregar valor à produção: "Está a cada ano mais difícil escolher os melhores cafés e queijos do estado. E isto é muito bom, termos essa concorrência grande, o que mostra a evolução das cadeias produtivas", afirmou.


Diretor do Sicoob Central Crediminas, Elson Rocha Justino discursou em nome dos patrocinadores do concurso: "A Emater-MG é uma gigante da assistência técnica e extensão rural do país, e, ao mesmo tempo, consegue manter simplicidade no atendimento tão próximo aos produtores rurais. Esse concurso do café tem repercussão internacional pela importância da cafeicultura de Minas Gerais no contexto mundial", destacou. Outro patrocinador é a rede de supermercados Verdemar.


Edição 2022


O concurso estadual de qualidade dos cafés recebeu este ano 1.422 amostras de café arábica, de 153 municípios, das quatro regiões produtoras do estado. A área com maior número de inscrições foi a das Matas de Minas, com 726 amostras. Em seguida, ficaram o Sul de Minas, com 454; Cerrado Mineiro, com 159; e Chapada de Minas, com 83.


A análise física dos grãos e as características sensoriais das amostras seguiram a metodologia da SCA. Foram considerados os atributos fragrância, aroma, sabor, acidez, corpo, uniformidade, ausência de defeitos, doçura, finalização, equilíbrio e avaliação global.


Os primeiros colocados de cada região nas categorias Natural e Cereja Descascado/Despolpado ou Desmucilado receberam troféus. E, para valorizar o papel cada vez mais importante das mulheres na cafeicultura, a produtora com maior pontuação no concurso foi premiada com a medalha Mulher Empreendedora. A ganhadora foi Silvânia Veiga Teixeira de Lacerda, do município de Espera Feliz, nas Matas de Minas. O café produzido em sua propriedade na safra de 2022 alcançou 90,100 pontos e conquistou o terceiro lugar geral no concurso estadual e o segundo lugar regional, na categoria Cereja Descascado.


Queijos campeões


Numa disputa acirradíssima, o 15º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal (QMA) sagrou como grande campeão o Queijo da Cristina, produzido por Maria Cristina Costa Faria, do município de Vargem Bonita, na região da Canastra. O queijo (com 15 dias de maturação) alcançou nota de 91,44.


“Faço queijo desde pequena e sempre procurei chegar ao melhor produto, mas a gente acaba ficando surpresa por ser o primeiro lugar”, conta a produtora Maria Cristina Faria, emocionada.


Também com nota superior a 91 pontos, o segundo lugar ficou com o Queijo Bicas da Serra, do produtor José Orlando Ferreira Junior, do município Carrancas, no Campo das Vertentes. A iguaria (com 23 dias de maturação) obteve a nota de 91,38 pontos. Os demais campeões foram: o Queijo Tropeiro (de João José de Melo/Serra do Salitre, nota 87,88 pontos) no terceiro lugar; o Queijo Jacuba (de Maria Teresa Viana Boari, de Coronel Xavier Chaves/ Campo das vertentes, nota de 87,50) na quarta posição, e o Queijo Estrela (Aécio de Oliveira, de São Roque de Minas/Canastra, nota de 87,09), em quinto lugar. Para selecionar os melhores queijos QMA do estado os jurados avaliaram critérios como apresentação externa, cor, textura, consistência, odor, aroma e gosto.


Especificidades


Este ano, a grande novidade da disputa foi a realização da primeira edição do Concurso Estadual dos Queijos Artesanais de Alagoa e Mantiqueira de Minas.


“O que permitiu fazer uma edição especial do queijo Alagoa e Mantiqueira de Minas é porque agora têm um regulamento. E o Queijo Minas Artesanal (QMA) e o Alagoa têm perfis diferentes. O QMA é um queijo com leite cru, que não passa por nenhum processo de aquecimento. Já o Alagoa é de leite cru também, mas a massa passa por um processo de aquecimento. Então, o modo de fazer, a textura e a consistência são diferentes, por isso não podemos julgá-los em categoria iguais“, explica a coordenadora estadual de Queijo Minas Artesanal da Emater-MG, Maria Edinice Rodrigues.


O primeiro lugar foi o Queijo Fazenda Entre Morros, do produtor Marcelo Fonseca de Andrade, de Alagoa. A iguaria (com 20 dias de maturação) recebeu nota de 82,26 pontos. “A nossa fazenda já tem cem anos de tradição na produção de queijos e o nosso queijo vem se destacando ao longo anos pelo empenho da minha família, dos funcionários e da Emater-MG”, comenta Marcelo Andrade.


Já o Queijo Sabor da Alagoa, do produtor Francisco Antônio de Barros Júnior, de Alagoa, ficou em segundo lugar, com a nota de 80,47 pontos.


Os outros ganhadores foram: o Queijos Almeida Guimarães (de Adriana Maria de Almeida, de Itanhandu/Mantiqueira de Minas, nota de 79,88 pontos) no terceiro lugar; o Queijo Aparecido (de Júlio Silvestre de Lima, de Carvalhos/Mantiqueira de Minas, nota de 78,88 pontos), na quarta colocação, e o Perroni Queijos (de Neiva Francisca Mendes Romanelli, de Itamonte/Mantiqueira de Minas, 78,82 pontos) no quinto lugar. Ao fim do evento, houve degustação dos queijos.


Expressão


O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, parabenizou os produtores de café e queijo finalistas em um video exibido durante a cerimônia de premiação. “Nosso estado é o maior produtor de café do Brasil, por isso, eventos como esses devem ser valorizados." Ele destacou ainda que os produtores de queijo participantes dos concursos promovidos pela Emater-MG têm suas queijarias cadastradas no Instituto Mineiro de Agropecuaria (IMA) ou no serviço de inspeção municipal, o que garante a qualidade dos produtos avaliados.


Durante o evento, o coordenador-geral de Sistemas Integrados de Produção Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcus Vinícius de Miranda Martins, entregou um certificado de reconhecimento do Certifica Minas Café, pelo Programa de Boas Práticas Agrícolas do Mapa, ao assessor técnico Julian Carvalho, que representou a Secretaria de Estado de Agricultura na premiação. Estiveram presentes ainda o deputado estadual Antônio Carlos Arantes e o superintendente de Relações Institucionais da Faemg, Altino Rodrigues Neto. A cerimônia contou ainda com a participação musical da Escola de Violeiros Chico Lobo, de Santana dos Montes.


Confira os vencedores.


19º Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais – 2022


Café Natural 


Cerrado


Elmiro Alves do Nascimento (Patos de Minas) – 87,167 pontos
Hugo Leandro Melo (Patrocínio) – 86,500 pontos
Rodrigo Andrade Alvarenga (Pratinha) – 85,917 pontos


Chapadas de Minas


Fazenda Sequóia Minas Ltda (Angelândia) – 86,833 pontos
Vilson dos Reis Resende (Rio Pardo de Minas) – 86,583 pontos


Matas de Minas


Manoel Protásio de Abreu (Espera Feliz) – 90,300 pontos (segundo lugar geral)
Patrícia Roza Emerick (Alto Jequitibá) – 89,900 pontos
Miquéias de Souza Reis (Caparaó) – 89,700 pontos


Sul de Minas


Pedro Ferreira Rezende Brás (Vargem Bonita) – 89,750 pontos
Adolfo Henrique Vieira Ferreira (Monte Belo) – 88,850 pontos
Uilton José da Cruz (Vargem Bonita) – 87,900 pontos


Café cereja descascado/desmucilado


Cerrado


Luciana Alves de Leandro Melo (Campos Altos) – 86,700 pontos
Rogério de Souza Guimarães (Serra do Salitre) – 86,667 pontos
Alan Michel Batista (Patrocínio) – 85,167 pontos


Chapadas de Minas


Luiz Manoel Ramos Fachada Martins (Angelândia) - 87,000 pontos
Vicente de Paula Rego de Minas (Angelândia) – 86,250 pontos


Matas de Minas


Ercilei José de Oliveira (Manhuaçu) – 91,400 pontos – (1º LUGAR GERAL)
Silvânia Veiga Teixeira de Lacerda (Espera Feliz) – 90,100 pontos (terceiro lugar geral e Destaque Mulher Empreendedora)
Paulo Henrique Protázio de Lacerda (Espera Feliz) – 89,250 pontos


Sul de Minas


Maria Letícia de Rezende Brás (Vargem Bonita) – 87,950 pontos
Paulo Henrique Cruz (Vargem Bonita) – 86,583 pontos
Eduardo Mitsuyuki Hassumi (Dom Viçoso) – 86,250 pontos


Finalistas do 15º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal (QMA):


1º lugar - Maria Cristina Costa Faria - Vargem Bonita (região Canastra)


2º lugar - José Orlando Ferreira Junior – Carrancas (Campo das Vertentes)


3º lugar - João José de Melo - Serra do Salitre (Serra do Salitre)


4º lugar - Maria Teresa Viana Boari - Coronel Xavier Chaves (Campo das Vertentes)


5º lugar - Aecio de Oliveira - São Roque de Minas (Canastra)


6º lugar - Eurico Tarôco - São João Del-Rei (Campo das Vertentes)


7º lugar - Reinaldo de Faria Costa - Vargem Bonita (Canastra)


8º lugar - Reginaldo de Assis Castro - Tapira (Araxá)


9º lugar - Ronaldo José Lemos - Campos Altos (Araxá)


10º lugar - José Américo Afonso Bernardes – Sacramento (Araxá)