Com casa cheia, Romeu Zema lança pré-candidatura ao governo de Minas pelo partido NOVO

Com casa cheia, Romeu Zema lança pré-candidatura ao governo de Minas pelo partido NOVO

O presidencial do NOVO João Amoêdo também esteve presente no lançamento da pré-candidatura de Romeu Zema em BH


O pré-candidato do Partido Novo ao governo de Minas Gerais Romeu Zema teve a sua pré-candidatura lançada oficialmente para disputar o governo de Minas. O evento aconteceu no Espaço Meet em Belo Horizonte nesta segunda-feira (12).


Ao lado do também pré-candidato à presidente pelo NOVO, João Amoêdo, Zema defendeu temas importantes que poderiam, na opinião dele, ajudar Minas a sair do "fundo do poço". Um deles seria a privatização de empresas públicas do Estado, como a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).  


Ele explicou ser favorável à privatização das duas empresas, porque, no entendimento dele, a gestão privada pode fazer uma gestão infinitamente mais eficiente. "A ideia seria dividir essas empresas em duas para quebrar o monopólio e fazer com que sejam remuneradas de acordo com a eficiência da menor tarifa, de um modo que seja benéfico ao consumidor”, explicou Zema.


Zema fez uma comparação entre o escândalo do petrolão e a privatização da Vale do Rio Doce, "só não houve um VALEZÃO no Brasil porque a Vale foi privatizada", alfinetou ele.




Zema e Amoêdo com a equipe de pré-candidatos à deputado aprovados no processo seletivo do NOVO (Qu4rto Studio)


O empresário, no entanto, diz ser totalmente contra o processo de privatização da CODEMIG, iniciado na gestão do atual governador Pimentel (PT). De acordo com Romeu Zema, a estatal não é uma empresa, mas sim uma recebedora de royalties. “Até me deixa assustado, porque o Estado teve que criar uma empresa para receber royalties, já que poderia ser um setor da Secretaria da Fazenda. Mas como o governo gosta muito de criar cargos e benesses, criaram a CODEMIG. É como se privatizassem a Secretaria da Fazenda e as receitas futuras do estado. É um absurdo”, disse.


Administração do estado


Zema fez também críticas à maneira com que a atual gestão do PT vem conduzindo o estado. Ele declarou que as contas públicas, por si só, demonstram que é “um completo desastre”.


"Apesar de ter promovido um aumento de impostos, as contas públicas estão a cada dia mais desequilibradas. O governo está tão inoperante que nem os servidores eles conseguem pagar mais", disse.


Percorrer o estado


Romeu Zema disse que irá se tornar um verdadeiro "andarilho" e pretende visitar 500 cidades de Minas Gerais até a eleição de outubro. "Nosso conceito de fazer campanha será bem diferente dos demais. Nada de helicópteros e jatinhos. Serei o candidato que vai visitar mais cidades na campanha eleitoral e vamos fazer isso de carro mesmo, para poder levar a nossa mensagem para as grandes cidades mas também para o município pequeno esquecido lá no interior", finalizou ele.


Romeu Zema Neto é presidente do conselho do Grupo Zema, empresa que atua no setor de varejo de eletrodomésticos, presente em cerca de 460 cidades mineiras, e na distribuição de combustíveis. Neste ano, a previsão é de que o grupo Zema fature 4,5 bilhões de reais.