Chinês de 70 anos com as 2 pernas amputadas chega ao cume do Everest

Chinês de 70 anos com as 2 pernas amputadas chega ao cume do Everest

Um escalador chinês de 70 anos que perdeu as duas pernas por causa de um linfoma em 1996 conseguiu chegar nesta segunda-feira ao topo do monte Everest, se tornando o primeiro indivíduo sem os dois membros inferiores a fazê-lo pela face sul, que fica do lado do Nepal.

"Xia Boyu chegou ao cume a 8.848 metros às 8h40 locais (4h55 em Brasília)", disse à Agência Efe, no acampamento base do Everest, Gyanendra Shrestha, funcionário do Ministério do Turismo do Nepal, que acrescentou que esta era a quinta tentativa do escalador.

Segundo a fonte, o chinês subiu acompanhado de três xerpas e, para evitar problemas de última hora, realizou o último trecho da ascensão partindo de uma saliência situada a 8.440, e não do acampamento IV, a 7.950 metros, onde normalmente se passa a última noite.

O montanhista chinês é o primeiro duplo amputado das pernas que consegue escalar a montanha pelo lado nepalês. Em 2006, o neozelandês Mark Inglis conseguiu chegar ao teto do mundo pela face norte, que fica do lado chinês.

Xia perdeu os dois pés devido a um congelamento severo durante uma tentativa de escalada do Everest em 1975 e, posteriormente, em 1996, teve as partes inferiores das duas pernas amputadas por causa de um linfoma.

O escalador já havia tentado subir o Everest em 2014, quando uma avalanche matou 16 xerpas e paralisou a ascensão, e em 2015, quando ocorreu o mesmo devido ao terremoto que deixou cerca de 9 mil mortos no Nepal, mais de 20 deles na montanha mais alta do mundo.

A última tentativa do chinês tinha sido em 2016, mas também acabou frustrada devido ao mau tempo.

Além disso, a ascensão acontece em meio a uma controvérsia sobre a possibilidade de amputados e deficientes terem permissão ou não para subir o Everest.

No dia 28 de dezembro do ano passado, o governo nepalês decidiu proibir os amputados das duas pernas e portadores de outras deficiências de escalar o Everest, alegando que era necessário reduzir os acidentes e mortes.

Três meses depois, a Suprema Corte do país decidiu suspender a aplicação da ordem governamental enquanto analisa a fundo a questão, e Xia foi o primeiro duplo amputado a obter permissão para escalar a montanha depois da revogação da norma.