Caso Daniel: Empresário convidou jogador para fazer sexo com a mulher, diz testemunha

Caso Daniel: Empresário convidou jogador para fazer sexo com a mulher, diz testemunha

A edição desta quinta-feira (8) do programa Primeiro Impacto PR, da Rede Massa, exibiu uma entrevista exclusiva com uma testemunha do caso Daniel. O jogador mineiro, de 24 anos, foi assassinado no dia 27 de outubro em São José dos Pinhais, no Paraná, depois de participar de uma festa na casa do empresário Edson Brittes. Durante depoimento, nessa quarta (7), ele disse ter matado o rapaz por acreditar que ele estaria estuprando a mulher, Cristiana Brittes. No entanto, a testemunha ouvida pelo jornal em anonimato desmente a versão apresentada.


De acordo com a testemunha, que seria uma pessoa próxima da família Brittes, Edson teria convidado o atleta para ter relações sexuais com a esposa dele. O convite teria sido feito momentos antes de Daniel ser agredido dentro do quarto em que estava com Cristiana.


“Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo”, disse a testemunha. “E depois que ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama ele se revoltou e resolveu matar Daniel”, comentou.


Ainda segundo a testemunha ouvida pela reportagem, Edison teria dito a um amigo que fez uso de drogas antes de cometer o crime, entre elas cocaína e anfetamina, substância conhecida popularmente como “bala”. “A família tem direito de saber que Daniel não tentou estuprar ninguém, ele realmente foi inocente na história”, completou.


Veja o vídeo abaixo: