Apesar da tornozeleira, homem é suspeito de matar namorada que tinha protetiva em Santa Luzia, MG


Apesar da tornozeleira, homem é suspeito de matar namorada que tinha protetiva em Santa Luzia, MG

Gritos por socorro e barulhos de discussão vindos de uma residência que divide lote com outras duas não assustaram os moradores vizinhos já acostumados com as brigas entre uma jovem de 19 anos e o pai de seu filho que tem apenas um ano e meio. Entretanto, nesse domingo (26), as divergências seguidas de agressões terminaram de forma trágica com a morte da mulher na própria casa em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte.


O namorado de 23 anos é suspeito de assassiná-la com um golpe no pescoço conhecido como mata-leão. Ele acompanhou o atendimento à mulher na UPA São Benedito de Santa Luzia e tinha uma tornozeleira eletrônica presa à perna. À Polícia Militar ele explicou que havia sido detido anteriormente por lesão corporal contra a própria companheira, mas permaneceu apenas um dia no presídio e saiu com o instrumento de monitoramento. De acordo com o próprio suspeito, a namorada tinha contra ele uma medida cautelar de afastamento.


Moradora de um imóvel vizinho, uma testemunha contou à polícia que os dois estavam vivendo juntos há cerca de três meses com o filho de um ano e meio que eles têm. Ela declarou que o casal tinha brigas constantes e ambos eram usuários de drogas.


De acordo com o registro policial, ela explicou que ouviu gritos chamando por seu nome no fim da manhã desse domingo e, quando saiu de casa, encontrou o suspeito desesperado e pedindo socorro para a companheira. Uma outra vizinha disse ainda ter escutado gritos da mulher no começo da manhã, mas não teria se preocupado em função das discussões frequentes entre o casal.


Questionado, o suspeito declarou que vivia há três meses com a namorada apesar do histórico de agressões e da medida protetiva que ela possuía contra ele. Na madrugada desse domingo (26), os dois teriam bebida cerveja e cheirado cocaína e loló.


O companheiro da mulher alegou que no começo da manhã eles começaram a discutir e ela teria sacado uma faca de cozinha para tentar atingi-lo. Ele garantiu que para se defender aplicou um mata-leão no pescoço da jovem que teria escorregado e batido a cabeça no chão.


Segundo o suspeito, a mulher caiu desacordada. Entretanto, ele achou que ela estivesse enganando-o e fingindo um desmaio. Depois de alguns minutos, ele tirou a mulher do chão e a carregou até a cama. Em seguida, percebeu que ela não respirava.


À vizinha para quem pediu socorro, o homem alegou ter tentado reanimar a namorada com massagem cardíaca. O pai da jovem, um homem de 60 anos, acompanhou o atendimento do SAMU à filha que já estava morta.


A polícia encaminhou o suspeito para um hospital em Santa Luzia onde ele recebeu atendimento para tratar de um corte provocado pela companheira em seu braço esquerdo durante a discussão. Consta no boletim que o homem estava muito transtornado, lamentando a morte da mulher e tendo crises de choro.