"A situação com relação às arboviroses está sob controle, mas a população não pode baixar a guarda",

"A situação com relação às arboviroses está sob controle, mas a população não pode baixar a guarda", destaca diretor do departamento de epidemiologia de Caratinga

De acordo com o Departamento de Epidemiologia e Estatística em Caratinga 41 testes tiveram resultados positivos para dengue de 223 casos da doença notificados até o dia 22 de abril. O diretor do departamento de epidemiologia, José Carlos Damasceno, apresentou mais detalhes sobre esta amostragem, observando que a maioria dos casos foi identificada no distrito de Santa Efigênia.

Conforme o último informe epidemiológico sobre as arboviroses no município, dos 223 casos de dengue notificados além dos 41 testes positivos, outros 25 deram negativo, 62 aguardam resultado, 3 indeterminados e 92 não coletaram amostras. Segundo o departamento, os pacientes que são encaminhados ao órgão são testados, mas precisam estar dentro do protocolo de prazo de sintomas. "Todp aquele paciente que procura o departamento tem material coletado, mas a grande maioria não vem. A coleta é feita sete dias após o início dos primeiros sintomas até o 14º dia. Após este prazo o resultado será não reagente".

Em tempos de pandemia de coronavírus, a espera pelos resultados de exames tem sido maior. "Antes do momento da Covid-19 a demora era em torno de 15 a 20 dias e como a demanda da Funed está maior, a espera chega até 30 dias", explicou.

Indagado sobre a possível subnotificação de casos de dengue, Damasceno considerou. O número de casos pode ser maior, mas ressaltou que o período de alta transmissão das arboviroses consiste de dezembro a maio. O pico é no mês de abril e a tendência é que os casos venham a cair no próximo mês. "A situação com relação às arboviroses está sob controle, mas a população não pode baixar a guarda. Uma parcela considerável da população insiste em criar mosquito dentro de residências. A primeira vítima é este cidadão e, lamentavelmente, o seu vizinho".

Muitos perguntam porquê a cidade não faz a utilização do fumacê, o diretor responde: "são dois fatores. Primeiro, precisamos ter um número muito elevado de notificações, o que não é o caso de Caratinga. Segundo, um alto índice de infestação que também não é o caso de Caratinga", concluiu, reiterando que está sendo realizado um novo LIRAa - Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti. Após este resultado, novas medidas poderão ser tomadas se necessárias.

Assista ao Vídeo

Participe da nossa enquete

Na sua opinião quem é o culpado pela dívida bilionária que quebrou o estado de Minas Gerais?
Resultados