Traficantes que revistavam pessoas em rua de Betim são mortos pela PM

Traficantes que revistavam pessoas em rua de Betim são mortos pela PM

A rua Nacip Raidan, onde estavam os traficantes, foi cercada pela PM


Uma denúncia anônima de moradores do bairro Jardim das Alterosas 2ª Seção, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, de que traficantes estariam revistando pessoas na rua Nacip Raydan, terminou em troca de tiros e dois suspeitos mortos na noite de segunda-feira (13). 


De acordo com a denúncia, que chegou ao Batalhão de Policiamento Especializado (BPE) por volta das 21h30, os traficantes estariam vendendo drogas na via e todos que chegavam ou passavam pela boca de fumo eram revistados por eles, sempre com armas em punho.


A Polícia Militar (PM) enviou então duas viaturas para o local, que cercaram a rua dos dois lados. Os traficantes perceberam a presença dos militares e começaram a atirar na direção deles. Os militares revidaram e balearam um traficante que estava armado com um revólver calibre 32.


Os outros traficantes tentaram fugir pelo outro lado da rua e encontraram a segunda viatura da PM, dando início a um novo confronto. Um segundo homem não identificado, que portava um revólver calibre 38, também foi baleado.


De acordo com o tenente Vanildo Ferreira, os traficantes deixaram drogas na rua durante a fuga. Cães farejadores da PM foram levados para o local e encontraram mais drogas escondidas em buracos de um barranco. Ao todo, foram apreendidos sessenta e três pinos de cocaína, buchas de maconha e pedras de crack.


Os bandidos ainda foram socorridos no Hospital Regional de Betim, segundo a PM, mas não resistiram e morreram. Os PMs envolvidos tiveram suas armas apreendidas e um Auto de Prisão em Flagrante será lavrado para que eles possam provar que agiram em legítima defesa.


Reféns do crime


Ainda de acordo com a denúncia recebida pela PM, os moradores afirmaram já há algum tempo estavam sendo obrigados a acatar várias regras dos marginais, virando reféns da criminalidade do bairro. 


Entre as "exigências" dos bandidos, está a ordem de que quem passasse de carro pelo local à noite deveria abaixar o farol e acender a luz interna. Já os motociclistas tinham que tirar o capacete para serem identificados, situações que estavam incomodando os moradores.


Curta a página do Portal Minas no Facebook