Mãe acusada de matar bebê alegando que ele chorava muito é condenada a 16 anos de prisão em Ituiutaba, MG

Mãe acusada de matar bebê alegando que ele chorava muito é condenada a 16 anos de prisão em Ituiutaba, MG

Elessandra Teles da Silva confessou matar filho em Ituiutaba (Foto: Reprodução/ TV Integração)


A jovem de 21 anos, Elessandra Teles da Silva, foi condenada por homicídio duplamente qualificado a pena de 16 anos de reclusão em regime fechado. O júri popular aconteceu nesta terça-feira (8) no Fórum Desembargador Newton Ribeiro da Luz, em Ituiutaba. A mãe foi julgada por matar o filho de 18 dias asfixiado com uma fralda, pois o bebê chorava muito.


O advogado de defesa da jovem, Aziz Mussa Neto, informou que vai recorrer da decisão. “O conselho de sentença não acolheu a tese da defesa, que é de lesão corporal seguida de morte por quatro votos contra e três a favor, o que mostra uma dúvida sobre a situação”, disse.


Participaram do júri popular sete pessoas, sendo quatro mulheres e três homens. O crime ocorreu em julho de 2016. No dia, o pai do bebê também foi preso por omissão, no entanto, ele foi inocentado por ter sido declarado com problemas mentais. Na época, Elessandra Teles da Silva foi levada para o Presídio Municipal de Ituiutaba.


A delegada titular da Delegacia da Mulher, Criança e Idoso em Ituiutaba, Alessandra Rodrigues da Cunha, contou em entrevista  na época que o corpo do bebê tinha sinais de engasgadura e arranhões no pescoço. Além disso, a mãe confessou à polícia que o filho estava com a clavícula quebrada devido a agressões anteriores.


Elessandra Teles da Silva foi julgada e condenada por homicídio (Foto: Reprodução/ TV Integração)

Entenda


A Polícia Civil descobriu o crime após os pais da criança a levarem ao pronto-atendimento. Ao chegar ao local, o médico plantonista constatou o óbito e a unidade acionou o Conselho Tutelar. Os conselheiros desconfiaram do homicídio e acionaram a delegacia.


“Pedi aos conselheiros para chamarem os pais para obterem mais informações sobre o caso. Enquanto isso, fui à funerária e solicitei que o corpo fosse para o Instituto Médico Legal (IML) para ser periciado. Assim que o médico me passou as informações pedi aos policiais para ficarem de guarda no Conselho Tutelar para ser feita a prisão em flagrante. Lá mesmo a mãe confessou o crime, que aconteceu na casa da família”, contou a delegada titular da Delegacia da Mulher, Criança e Idoso em Ituiutaba, Alessandra Rodrigues da Cunha.


Guarda de filhos


Além do bebê de 18 dias vítima do crime, Elessandra tem mais dois filhos, uma menina de cinco anos e um menino de dois anos. A Justiça definirá com quem ficará a guarda das crianças.


Curta a página do Portal Minas no Facebook