CPI começa colher depoimentos para apurar denúncias contra Copasa em Divinópolis

CPI começa colher depoimentos para apurar denúncias contra Copasa em Divinópolis

Após apuração, relatório terá que ser apresentado em reunião na Câmara de Divinópolis (Foto: Reprodução/TV Câmara)


A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), criada para apurar denúncias contra a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), começa nesta segunda-feira (9) a colher depoimentos que vão auxiliar nos trabalhos que devem resultar em um relatório detalhado. A comissão tem quatro meses para concluir o documento.


Os primeiros depoimentos serão dados durante esta tarde no Plenário da Câmara. Foram chamados para o encontro a Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Supram), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Agencia Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae), além de chefes do Executivo atuais e de gestões anteriores.


A Comissão foi criada no último mês para investigar o cumprimento das responsabilidades contratuais por parte da Copasa. A Portaria 185, instituída pelo vereador e presidente da Câmara, Adair Otaviano (PMDB), em atenção ao requerimento do vereador Cleiton Azevedo e reforçado por 15 assinaturas, nomeou os vereadores Ademir Silva (PSD), sargento Elton (PEN), Róger Viegas (PROS) e Zé Luiz da Farmácia (PMN), além dos dois outros citados para as apurações.


A CPI vai analisar a execução dos serviços municipais de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, os termos aditivos e as cláusulas estabelecidas nos contratos de concessão desses serviços essenciais.


Os vereadores terão quatro meses para apresentar o relatório e apontar os encaminhamentos possíveis. Após essa investigação, o documento final será apreciado em reunião pública, especialmente marcada para esse fim.


Curta a página do Portal Minas no Facebook